caderno-de-cinema

Home » Fale conosco

 

Jorge Alfredo

+55  (71)  99967-9625

jorgealfredoguimaraes@gmail.com

jorgealfredo@globo.com

caderno_de_cinema@globo.com

cadernodecinema@orija.com.br

JA_entrevista

Atualmente, Jorge Alfredo lançou  “O Senhor das Jornadas” (série de TV em 5 episódios de 26min cada). E tem se dedicado aos projetos “Cinema na Província”, doc longametragem e “Vertigem do Sagrado”,  filme de dança, ambos com roteiros prontos. Além dos projetos de ficção;  “Vanguarda” e “Párvulos“.

Em junho de 2014, numa parceria com a Truque, fez a curadoria da Mostra Guido Araújo – com catálogo e dvd – numa iniciativa que visa disponibilizar a obra cinematográfica de Guido Araújo e incentivar retorno da Jornada Internacional de Cinema da Bahia, interrompida em 2012.

Em 2008, Jorge Alfredo criou a produtora ORIJA Produções Artísticas Ltda e  através dela produziu e dirigiu 3 filmes documentários longa metragem com tecnologia RED4k. Estudando Tom Zé (2010) apesar de exibido no Panorama Coisa de Cinema e no Feciba, continua praticamente inédito.  A Pedagogia da Presença (2010) foi exibido pela TVE Bahia. Trieletrizado (2010/13) foi exibido pela TVE em fevereiro de 2013.

Jorge Alfredo também fez a Direção Geral de doze programas da série Nos Braços da Viola para a TV Brasil (2008/2009), com exibição nacional, dirigiu documentários institucionais para empresas como a Petrobrás, Construtora Norberto Odebrecht, Correios e Telégrafos, OAF, Onda Azul, Água Mineral Dias D’Ávila, Serigy, Embasa,  Universidade Tiradentes, Projeto Axé e para secretarias de órgãos do Governo do Estado da Bahia, de Sergipe e várias prefeituras brasileiras. Atua também, desde o final da década de 80, como diretor de cena para várias agências de publicidade (Propeg, Leiaute, Maria Publicidade, Morya, Objectiva) e produtoras de cine, tv e vídeo como a Truque, X-Filmes , Malagueta e Santo Guerreiro (BA), Laranjeira Produções (MG), WG Produções (SE) BW Filmes (Ribeirão Preto-SP) e Polis – Comunicação & Marketing (SP), Orion (Angola).

Dirigiu várias campanhas políticas na TV a partir de 1988. Em 2012, Angola – campanha presidencial de José Eduardo dos Santos, em 2008, Ribeirão Preto -SP – campanha para prefeito de  Feres Sabino, em 2004,  Camaçari- BA – campanha pra prefeito de Luiz Caetano, em 2002 – Bahia –  Paulo Souto (Governo do Estado da Bahia), ACM e Cesar Borges (Senado),  em 1996 – Sergipe – Maria Alves (Senado SE-1998), em 1996 – Aracaju – campanha para prefeito de Bosco França.

Em 2001, seu filme Samba Riachão ganha os principais prêmios do 34º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – Melhor Filme (Júris Oficial e Popular) e Melhor Montagem. Com Samba Riachão participa de vários festivais e mostras por todo o país e representando o cinema brasileiro em Cuba, Portugal, França, Argentina, Alemanha, Uruguai, Espanha, Itália, EUA, Áustria, República Tcheca, Angola e Espanha.

Jorge Alfredo se destacou nacionalmente como cantor/compositor, gravando discos no final dos anos 70 e participando ativamente do show business brasileiro – circuito de shows, rádio, televisão, festivais e performance em vídeo clip e vídeo arte. Em 1988, inverte a situação, e inicia sua carreira por trás das câmeras com produções em vídeo e cinema. Na área do audiovisual percorreu alguns caminhos; roteiro, trilha sonora, câmera, fotografia, montagem, assistência de direção, até que a partir de 94 se firma na direção geral.

Sua trajetória profissional inclui passagens  pelo jornalismo, onde, em abril de 2012 cria e edita a revista eletrônica Caderno de Cinema, voltada para publicação de textos e discussões daqueles que fazem cinema, em sua ampla dimensão. Escreveu artigos para jornais e revistas (Musica do Planeta Terra,  Muda, O Estado de São Paulo, Jornal do Brasil) e assinou uma página semanal no Diário de São Paulo (1978/1979) sobre Musica Popular Brasileira. É autor do livro Introdução ao Direito de Autor lançado pelo Congresso Brasileiro de Cinema (CBC) em 2006.

No âmbito da sua atuação em organizações da sociedade civil Jorge Alfredo participa da criação e é eleito presidente da Associação de Produtores e Cineastas da Bahia (APCBahia), em maio de 2011. Foi  também presidente da Associação de Produtores e Cineastas do Norte e Nordeste/APCNN (julho2006 a julho2009).

Já integrou diversas comissões julgadoras de editais de cinema, música, teatro e video, com destaque para sua participação  no júri de longa metragem do Festival de Brasília de 2002 e de editais de longa metragem do MinC e de Pernambuco.

Em sua carreira musical compõe jingles e trilhas para cinema e documentários institucionais. Como cantor e compositor, constam dois discos; LP “Jorge Alfredo -Quem fica é Quem Traz o Sol” de 1979 e LP “Jorge Alfredo e Chico Evangelista – Bahia Jamaica”, de 1980, relançado em CD em 1996. Autor de sucessos como “Vestido de Prata”, “Música Alegre”, “Rasta Pé” (Buzina de Ouro do Chacrinha, Troféu América, Troféu Rede Bandeirantes – 1980), “Reggae da Independência”, “Assim Preto-Brasa Branca”, “Oiampi” e “O Dia”, tem músicas suas gravadas por Arnaldo Antunes e Nando Reis, Sylvia Patricia e Jussara Silveira, Diana Pequeno, Chiclete com Banana, Paulinho Boca de Cantor, Margareth Menezes e Caetano Veloso, Gilberto Gil, Roze, Era Encarnação, Chico Evangelista, Maria Alcina, Tiago Araripe, David Moraes, Jauperi entre outros artistas.

 

Captura de Tela 2014-07-28 às 12.18.28

 

Comments are closed.