Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

caderno-de-cinema

Home » Filmes » “Guerra de Algodão” em Estocolmo

“Guerra de Algodão”, terceiro longa de Marília Hughes e
Cláudio Marques, em competição em Estocolmo, na Suécia

Depois de ser exibido em Montreal (Canadá), Los Angeles (EUA) e Copenhague (Dinamarca), “Guerra de Algodão” será exibido em competição no Stockholm Film Festival Junior (Suécia) entre 1º e 6 de abril. Trata-se de um dos festivais mais importantes dedicados a filmes infanto-juvenis da Europa.

“O diretor do festival viu uma versão ainda não-finalizada do nosso longa e logo fez o convite. Ficou apaixonado, queria que fosse a estréia mundial”, conta Cláudio. “É muito bom ver o filme circulando nos festivais adultos e infanto-juvenis!”, diz Marília Hughes.

No filme, Dora (Dora Goritzki) é uma adolescente brasileira criada pela mãe na Alemanha, que volta a Salvador para passar férias com a sua avó, Maria (Thaia Perez). Elas são completamente estranhas, uma para a outra. Dora fará de tudo para retornar!

Para os diretores, o encontro com a jovem Dora Goritzki foi determinante em todo o processo. Após uma longa busca pela atriz do filme, Dora impressionou fortemente os diretores, que fizeram mudanças no roteiro. “Dora é extremamente talentosa. O fato dela saber cantar lindamente e também falar alemão fez com que o roteiro se adaptasse à ela”, conta Cláudio. “Dora se movimentava no set como se fosse veterana. Ela nasceu para ser atriz de cinema!’, relata Marília. “Guerra de Algodão” é o primeiro trabalho profissional de Dora, que jamais havia atuado, antes.
O trabalho com atores jovens e sem experiência pregressa já havia rendido prêmios importantes nos longas anteriores. No Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, Pedro Maia, protagonista em “Depois da Chuva”, se tornou o mais jovem a vencer o prêmio de Melhor Ator.

Em “Guerra de Algodão”, Thaia Perez, atriz veterana que esteve em cena em “Aquarius”, de Kleber Mendonça, representou um outro importante encontro. Maria, avó de Dora, é extremamente elegante e enigmática. Uma forte personalidade que encanta na telona!

A menina Thaila Rodrigues, também em sua estréia no cinema, é uma personagem fundamental. Ela será responsável por acolher Dora em fuga e em crise total com sua família e o destino que se apresenta para ela.

Grande elenco do teatro baiano completa o casting: Analu Tavares, Aícha Marques e Edvana Carvalho. Um filme de mulheres!

“Guerra de Algodão” foi realizado graças ao edital promovido pelo Fundo Setorial/ Ancine e tem como distribuidora a Vitrine Filmes.


GUERRA DE ALGODÃO

Direção e Produção: Cláudio Marques e Marília Hughes

Roteiro: Cláudio Marques

Fotografia: Andrea Cappela

Direção de Arte: Carol Tanajura

Desenho de Som: Edson Secco

Montagem: Joana Collier

Assistente de Direção: Marianne Macedo

 

Site do festival:

Stockholm Film Festival Junior: 

https://www.stockholmfilmfestival.se/en/program/2019/junior#12804

Uma produção: Coisa de Cinema

“Coisa de Cinema” surgiu em Salvador, em 1995. Responsável pela publicação do jornal tablóide de mesmo nome, que circulou em 5 capitais e contou com mais de 70 mil exemplares. A empresa se tornou responsável pelo Panorama Internacional Coisa de Cinema, que surgiu em 2002 e já está em sua décima primeira edição em 2015.

Desde 2006, Coisa de Cinema produziu seis curtas (entre eles Carreto e Nego Fugido), que participaram de 160 festivais e conquistaram 72 prêmios. 

Depois da Chuva, primeiro longa-metragem da produtora, conquistou os prêmios de Melhor Roteiro, Trilha Sonora e Ator no 46º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Internacionalmente, estreou no 43º Rotterdam Film Festival, um dos cinco mais importantes da Europa e participou de mais de 30 festivais no mundo todo.

Lançado comercialmente no Brasil, o longa recebeu dezenas de excelentes criticas, sendo considerado por Sérgio Alpendre, da Folha de São Paulo, o melhor longa brasileiro da nova geração dos últimos dez anos.

“A Cidade do Futuro”, segundo longa da dupla, foi exibido em 42 festivais de cinema pelo mundo. Lançado em 2018 no circuito comercial brasileiro, o filme recebeu excelentes criticas.

 

Bio e Filmografia dos diretores

Marília Hughes nasceu em Vitória da Conquista, Bahia, em 1978, e mora em Salvador, Bahia, desde 1991. É graduada em Psicologia (1996-2002) pela Universidade Federal da Bahia e mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas (2007-2009) pela UFBA/PósCom. Sócia da empresa Coisa de Cinema onde trabalha, desde 2006, como diretora, produtora e editora. Marília realizou diversos curtas premiados e, desde 2007, é produtora geral do Panorama Internacional Coisa de Cinema, festival internacional de cinema que acontece em Salvador desde 2002. Depois da Chuva é o seu primeiro longa-metragem. A Cidade do Futuro, o segundo longa.

 

Cláudio Marques nasceu em Campinas, São Paulo, em 1970, e mora em Salvador desde 1982. Cláudio foi editor e crítico do jornal Coisa de Cinema durante oito anos (1995-2003). Colaborou para os jornais Tribuna da Bahia e A Tarde. Idealizou e hoje é o principal coordenador do Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha. Cláudio é o idealizador e coordenador do Panorama Internacional Coisa de Cinema.

Cláudio dirigiu, roteirizou e montou diversos curtas premiados. Depois da Chuva é o seu primeiro longa-metragem. A Cidade do Futuro, o segundo longa.

Deixe um comentário